28/01/2011

Eleições presidenciais em Mem Martins

Depois de tantas histórias e confusões que já ouvi relativamente às eleições presidenciais em Mem Martins, filas para esclarecimentos, folhas com indicação das mesas de voto com informações erradas, necessidade de deslocação à Junta de Freguesia, etc..., vou colocar um simples desabafo de uma habitante da freguesia, que sentiu dificuldades na hora de votar... uma história semelhante a tantas outras que já ouvi...

Para mim, foi uma vergonha para a democracia portuguesa...


"Ainda a propósito das eleições presidenciais, gostava de chamar a atenção para a forma atabalhoada e mal organizada como as mesmas decorreram na nossa freguesia. E nem tudo será responsabilidade do cartão do cidadão....

Sempre votei na Escola Primária em frente à Igreja do Algueirão e nunca me lembro de encontrar tal confusão. Fui votar perto das 12h e deparei-me com um cenário de completo desnorte e caos. A fila ultrapassava largamente os portões da escola. Estavam pessoas de idade e crianças pequenas (que acompanhavam os pais) na interminável fila, expostas ao frio cortante. Ninguém sabia confirmar se a fila era para votar ou para consultar as folhas com as indicações das mesas de voto, que estavam penduradas dentro da escola e, portanto, inacessíveis. Várias pessoas comentavam que tanta dificuldade para votar teria certamente como objectivo promover a abstenção...

Finalmente e após grande burburinho, uma alma caridosa lembrou-se de tirar as folhas com indicação das 4 mesas de voto de dentro do edifício e colocá-las nos portões da escola para que todos pudessem verificar se estavam no local certo para votar ou se a enorme espera tinha sido em vão. Após grande confusão, consegui confirmar que estava no local certo e avançar para dentro do edifício, onde, pasme-se, reinava também o caos. Num hall exíguo estavam instalados os bombeiros e as pessoas que tentavam abrir o caminho para a respectiva mesa de voto. Toda a gente queria entrar para se abrigar do frio... As filas estavam a maior balbúrdia com os inevitáveis comentários de quem estava com medo que lhe passassem à frente. Um cenário dantesco. Quando finalmente chegou a minha vez de votar, comentei o assunto com as pessoas da mesa de voto, que desabafaram o seu desencanto com a organização do acto eleitoral e remeteram a responsabilidade para a Junta de Freguesia.

Para bem de todos nós, espero que esta situação não se torne a repetir. Que sinal é dado aos cidadãos, quando nem as eleições se consegue organizar decentemente?!

Obrigada!

Filipa Cristovão"

23/01/2011

Bombeiros de Algueirão-Mem Martins sem comunicações telefónicas há 24 horas


Os bombeiros de Algueirão-Mem Martins, a maior freguesia do país, estão sem comunicações telefónicas há 24 horas, pondo em risco o socorro a uma população de 120 mil pessoas, disse à Lusa o comandante da corporação.
 
“Estamos sem comunicações telefónicas de rede fixa desde sábado. A Vodafone não consegue resolver o problema, não dando qualquer estimativa para a resolução, e diz apenas que está para avaliação nas próximas 24 a 48 horas”, disse à Lusa o comandante dos bombeiros, Joaquim Leonardo.

O responsável adiantou estar “bastante preocupado” pois cerca de 120 mil pessoas não têm forma de contactar os bombeiros para “os pedidos de ajuda e socorro durante um período indeterminado”.

“Podem ocorrer situações muito graves de incêndios, acidentes e emergências médicas que dificilmente chegarão ao conhecimento dos bombeiros. Apesar dos inúmeros contactos com a assistência da Vodafone, a chamada é sempre encaminhada para os serviços técnicos que tratam o problema como se os bombeiros fossem uma empresa comum, desvalorizando o facto da população não ter acesso ao número de socorro dos bombeiros locais”, disse.

Até à resolução do problema, os bombeiros podem ser contactados através do telemóvel 916 985 910.

SAPO/Lusa

Confusão nas Presidenciais

Na maior freguesia do país, Algueirão Mem Martins, o presidente da junta local disse que centenas de pessoas não puderam votar devido à alteração do número eleitor que consta do cartão do cidadão.

Manuel do Cabo afirmou que desde manhã centenas de pessoas se têm deslocado à junta para obterem o número de eleitor e saber qual a sua mesa de voto, alegando que ao tirar o cartão do cidadão este número foi alterado.

O autarca adiantou que este procedimento se tornou moroso, devido às dificuldades do serviço da junta para aceder aos portais oficiais de informações.

"As pessoas já assinaram dois livros de reclamações (cerca de 50 queixas). Lamento esta situação, mas isto podia ser evitado se houvesse consciência para não deixar tudo para a última da hora", criticou.

Mem Martins é a maior freguesia do país, com cerca de 130 mil moradores e 50 mil eleitores.


Várias pessoas disseram à Agência Lusa que foram impedidas de votar porque o número de eleitor foi alterado depois de terem aderido ao cartão de cidadão.

José Faria adiantou, pelas 16:30, que desde hoje de manhã estava a tentar votar

"Nas mesas de voto disseram-me que o meu número de eleitor mudou quando tirei o cartão de cidadão", disse.

Carlos Figueira mostrou à Agência Lusa o novo número de eleitor atribuído na Junta de Freguesia.

"Há mais de 20 anos que tinha o mesmo número de eleitor. Agora quando tirei o cartão de cidadão atribuíram-me outro, sem me dizerem nada", notou.

16/01/2011

Encerramento da SUB de Mem Martins à noite


Para acompanhar o video do Sintra Canal, decidi acrescentar um texto que recebi do Augusto, um habitante  e natural da freguesia com muito conhecimento de causa no âmbito da saúde, e sendo um ponto de vista muito válido, decidi compartilhar assim com todos... trata-se de excelente ponto de vista...

Mas no meu ponto de vista, a falta de utentes na SUB tem duas causas: 
-Falta de conhecimento, e é muito simples, basta questionar a grande maioria da população do concelho que não sabe da existência desta urgência ou simplesmente não sabe onde está localizada. 
-Outro ponto é o facto de os bombeiros não transportarem ninguém para a SUB, e se por exemplo um morador do Casal de São José chamar os Bombeiros porque teve uma baixa de tensão, dor de cabeça, etc, ele é automaticamente transportado para as urgências da Amadora. Sempre...


Uma solução simples e barata, seria a colocação de Outdoor, no IC19 junto á entrada de Mem Martins a lembrar/informar da existência, com um slogan simples "Porque ir à Amadora se pode ir já aqui a Mem Martins"

Deixo de seguida o texto do Augusto:
-----

A SUB é uma tremenda mais valia para a Freguesia! 

Para a freguesia e não só... Somos CEM MIL HABITANTES!!! Se CEM MIL HABITANTES não merecem ter um serviço destes, ninguem merece! Cem mil habitantes, onde uma parte significativa nem médico de família tem!!!! Aliás, CEM MIL HABITANTES MERECEM UM HOSPITAL!!!!

Na minha opinião, ainda não foi amplamente divulgada. Não foi divulgada a sua existência, nem tão pouco o seu âmbito de actuação...

140 atendimentos (média), são imensas consultas!!!Fazendo as contas dá mais de meio MILHÃO de consultas por ano...

Lembro que a Urgência Geral do HFF Amadora Sintra tem cerca de 750 atendimentos por dia. Parte destes atendimentos, (Serviço Urgência Geral) nomeadamente verdes e azuis não poderão ser reencaminhados para a SUB? (foi o que me fizeram em Espanha qd lá estive de férias... Fui ao hospital e encaminharam-me pro Centro de saúde)

Quanto ao serem 6 atendimentos por noite, eu atrevo-me a duvidar desses números!!!! E mais, quantas das pessoas admitidas entre as 20 e as 24h têm alta depois das 24h?!??!??! Epah... esses comentários são simplistas e visam apenas que o povo se manifeste...

Quanto ao poupar... Sr. Administrador, meio milhão em quanto?!?!?!? Qual o orçamento anual do HFF?!?!?!? Meio milhão é provavelmente uma gota de água...

Faço TRÊS sugestões:

- Que este Serviço cresça e tenha mais valências para evitar que as pessoas tenham que se deslocar à urgência Geral do HFF

- Que exista um coordenador que em função do expediente reencaminhe (após triagem de manchester) doentes do Serviço Urgencia Geral (HFF) para a SUB quando o tempo de espera exceda determinados parâmetros...

- QUE O ACTUAL SUB DÊ LUGAR A UM HOSPITAL. Há espaço suficiente nas antigas instalações da Messa. Que estão a criar ratos... Que tal um movimento pra criação de um Hospital?!?!?


Loures (concelho) tem 195 mil habitantes, Sintra (concelho) tem 445 mil habitantes dados 2008... Loures terá um Hospital... E Sintra???? Partilha um com a Amadora (175 mil habitantes).

Ora façamos lá as contas: 175Amadora+ 445 SIntra= 620mil habitantes para um hospital...

Loures 195 para um hospital... Os políticos, devem-nos pelo menos mais dois hospitais...

Digam lá que isto não é uma boa ideia?!?!?!?

Tenho mais sugestões....

AUGUSTO

video platformvideo managementvideo solutionsvideo player

"Bola na Barra" - Mem Martins Sport Clube

A Rubrica "Bola na Barra", do programa "Mais Futebol" que é emitido às sextas-feiras na TVI24, esteve no passado dia 11 de Janeiro em Mem Martins, a testar a equipa de seniores do Mem Martins Sport Clube.

A equipa teve uma prestação bastante positiva, e conseguiu conquistar a taça do programa.

Também serviu para demonstrar a todo o país que ainda existem campos pelados no concelho de Sintra, e provar as más condições em que se pratica desporto em Mem Martins.

Pode ser que desperte consciências...







No programa a Jornalista Claudia Lopes alcunhalou a equipa de "Os Abelhas Maias", mas no final do video toda a equipa a gritar...
"A TAÇA É NOSSA... A TAÇA É NOSSA... "

e eles merecem um relvado....

[SaloiaTV] Encerramento da SUB de Mem Martins?? (video)

12/01/2011

Viagem “Na Rota da Pedra Negra” de Mem Martins

Deixo aqui o meu agrado por este tipo de iniciativa

Viagem “Na Rota da Pedra Negra” de Mem Martins
Noticia Rádio Ocidente - http://www.radioocidente.pt

Numa iniciativa do Arsenal 72, jovens da freguesia de Algueirão Mem Martins, partiram à descoberta dos trilhos da “rota da Pedra Negra”. Uma visita guiada pelo arqueólogo Rui Oliveira, até às ruínas do Teatro Romano,(Lisboa) edifício que tem incorporado na sua construção o tão apreciado e raro “mármore negro”, existente na freguesia.

Devo confessar que desde há muito deixei de percepcionar a vida por estereótipos. E, como diz o poeta “a espantosa realidade das coisas, é a minha descoberta de todos os dias”; parto assim, todos os dias à descoberta das mesmas e de outras pessoas, dos mesmos e de outros locais.

Posso, até, aduzir inúmeras vantagens nesta minha postura, mas não o farei! A descoberta deve ser um privilégio pessoal que cada um exercitará, consciente ou inconscientemente, com ajuda ou solitariamente. De qualquer forma, a descoberta é o antónimo da monotonia, da ignorância.
Visita guiada pelo arqueólogo Rui Oliveira, até às ruínas do Teatro Romano, edifício que tem incorporado na sua construção o tão apreciado e raro “mármore negro”, existente na freguesia de Algueirão Mem Martins
Visita guiada pelo arqueólogo Rui Oliveira, até às ruínas do Teatro Romano, edifício que tem incorporado na sua construção o tão apreciado e raro “mármore negro”, existente na freguesia de Algueirão Mem Martins

Quando partimos à descoberta, do que nos rodeia, acabamos por descobrimo-nos e, quebrada a monotonia, invariavelmente nos tornamos em pessoas responsáveis, afáveis e felizes.

Com todos estes ingredientes, mais um turbilhão de emoções, vivi, vivemos, o projecto, “Na Rota da Pedra Negra”. Criado e acalentado pelo Arsenal 72, simpático clube da Freguesia de Algueirão – Mem Martins, este projecto, no âmbito da História Local, visa dar a conhecer aos mais jovens a importância das antigas pedreiras de “Mármore Negro” de Mem Martins. Pedra rara, muito apreciada desde tempos antigos, foi, sobretudo, utilizada em embutidos em magníficos edifícios religiosos, da Capital, do País e, até, do estrangeiro.

Lá partimos à descoberta da Pedra Negra de Mem Martins: objectivo Lisboa! Visitamos as ruínas do Teatro Romano que, também ele tem incorporado na sua construção o “Mármore Negro”.

Pelo caminho meditamos e apreciamos a Sé de Lisboa. O único edifício em Lisboa, tanto quanto julgo saber, dos tempos dos primeiros Reis de Portugal; magnífico espaço de Fé e de História.
Prometemos voltar à “Rota da Pedra Negra”, com novas “viagens”, sempre renovadas, sempre sedutoras
Prometemos voltar à “Rota da Pedra Negra”, com novas “viagens”, sempre renovadas, sempre sedutoras

Depois foi redescobrir a Baixa Pombalina, saber do Chiado, de Camões, de Fernando Pessoa e da Igreja do Loureto ou dos italianos, também ela com Mármores Negros. Mais que tudo, os jovens que participaram nesta viagem na História, descobriram o fervilhar da vida na cidade, nos artistas de rua, no prazer que é olhar-mos e ver-mos, com olhos de ver.

Prometemos e vamos voltar à “Rota da Pedra Negra”, com novas “viagens”, sempre renovadas, sempre sedutoras.


Crónica de Rui Oliveira / rádio Ocidente

Amadora-Sintra quer encerrar serviço nocturno de Algueirão-Mem Martins

O presidente do conselho de administração do Hospital Fernando da Fonseca, Artur Vaz, disse à agência Lusa ter solicitado à Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, que "analise e pondere", o encerramento nocturno do equipamento de saúde de Algueirão-Mem Martins.  

Segundo o administrador o Serviço de Urgência Básica (SUB) está  a funcionar durante a noite "com custos muito grandes para o número de atendimentos",  uma vez que, em média, se deslocam a este equipamento 140 utentes diários, seis deles no período entre a meia-noite e as oito da manhã.   

"É um luxo num país em crise como o nosso. A diminuição de custos apenas  em pessoal seria à volta de meio milhão de euros por ano", disse Artur Vaz, adiantando que neste período trabalham dez profissionais, entre médicos e auxiliares.  

Inaugurado em Agosto de 2009, o Serviço de Urgência Básica de Algueirão-Mem Martins teve como objectivo descongestionar as urgências do Hospital Fernando da Fonseca.

O presidente da Câmara de Sintra, Fernando  Seara, considerou "muito estranha" a aplicação desta medida "num concelho que não tem um hospital", adiantando ainda não ter "conhecimento de nada".

05/01/2011

Primeira Agência Bancária - Banco Fonsecas & Burnay


A primeira agência bancaria a abrir na freguesia de Algueirão - Mem Martins foi o Banco Fonsecas & Burnay, na Estrada de Mem Martins, no dia 13 de Março de 1978

Foi uma agência da qual tenho vagas recordações, mas das quais me lembro de um grande pilar no centro do espaço, um pilar dourado se bem me recordo.

Era o local onde esperávamos impacientemente pelo numero da chapa furada que nos era dada inicialmente, para podermos ser atendidos na caixa, para depósitos ou levantamentos

O Banco sofreu algumas transformações e mudanças de imagem, e hoje é comercialmente conhecido por BPI. A zona da antiga agência ainda pertence ao Banco, mas neste momento já não é de atendimento ao publico, que foi deslocada para a loja ao lado.


03/01/2011

"Nojo Politico 2" em Algueirão Mem Martins

Relativamente ao post que coloquei no passado dia 29 de Dezembro ""Nojo Politico" em Algueirão Mem Martins", recebi um direito de resposta do Presidente da Assembleia de Freguesia de Algueirão Mem Martins, referente ao comunicado feito pelo Presidente da Junta de Freguesia.


Acho importante dar voz a todas as vozes, no entanto, este ponto de vista não alterou as minhas ideias, nem os meus pontos de vista. 

Para mim, politica é saber negociar, saber criar consensos, lutar pelo progresso, pelo bem estar de quem se representa.  

Uma Junta de Freguesia que não consegue, ou não quer, aprovar um simples Orçamento, ou é composta por pessoas incompetentes, ou desinteressadas, ou pouco dedicadas... e a culpa é de todos, de todas as forças politicas, isto é, de quem governa e de quem faz oposição.

Profissionalmente, quando não faço um bom trabalho, começo por ter vergonha... mas mais tarde acabo sempre por ser penalizado...

Calculo que o ordenado de todos os governantes da Junta não sofra alterações com a aprovação ou não do orçamento... por isso, continua a guerra... e que se lixe o resto...


 "Com os meus respeitosos cumprimentos venho por este meio esclarecer e exercer o direito de resposta ao comunicado feito pelo Sr. Manuel do Cabo, Presidente da Junta de Freguesia de Algueirão Mem Martins, publicado no vosso blogue em 29 de Dezembro último:

A ruptura na “Coligação Mais Sintra” efectivou-se em plena tomada de posse, considerando o CDS de Algueirão Mem Martins, que não tinha condições de confiança política no seu parceiro de coligação. Assim o CDS concorda em absoluto com o Sr. Manuel do Cabo quando afirma que “a gestão de uma junta de freguesia, por ser o governo de proximidade não pode ser palco para exibição política partidária, sobretudo de um partido com responsabilidades como é o CDS”.

O CDS tem efectivamente responsabilidades na eleição do PSD para este mandato autárquico, pois foi com os votos dos seus eleitores que contribuiu para a vitória da “Coligação Mais Sintra” e assim, a reeleição do Sr. Manuel do Cabo, para presidente do executivo. No entanto, a coligação no executivo da junta de freguesia não é o PSD e CDS, mas sim o PSD e a CDU.

Em relação aos instrumentos de gestão da freguesia, o Orçamento, o PPA (plano plurianual de acções mais relevantes) e o PPI (plano plurianual de investimentos), são os documentos que reflectem as orientações políticas de qualquer executivo de uma junta de freguesia. Assim, não se compreende a posição do Sr. Manuel do Cabo ao afirmar que “A elaboração de um plano e orçamento, é uma tarefa técnica e financeira” e que a fundamentação da sua rejeição “só pode ser técnica e nunca política”.

Lamentamos e estranhamos que o Sr. Manuel do Cabo tenha uma interpretação ridícula e redutora da função dos instrumentos de gestão que politicamente presidem ao governo da freguesia de Algueirão Mem Martins.

No entender do CDS a fundamentação é exclusivamente política.

Assim, “o CDS-PP de Algueirão – Mem Martins com o sentido de responsabilidade que deve ter perante a população e a freguesia não podia votar favoravelmente o orçamento proposto para o ano de 2011, uma vez que o referido documento, bem como o PPA e PPI, não reflectem os verdadeiros e prementes interesses e preocupações sentidas pelos habitantes desta vila, a médio e longo prazo.

O orçamento ora proposto evidencia verbas inexactas e desajustadas da realidade, umas sem qualquer pragmatismo face à rubrica designada, e outras sem manifesta importância na actual conjuntura de contenção de despesas.  
                                                                                                                                                                                                                                                                    Entendemos que é possível ao Executivo que dirige a Junta de Freguesia de Algueirão – Mem Martins expressar maior competência e logo fazer melhor.”.

Por último o CDS concorda com o presidente da junta Sr. Manuel do Cabo, quando afirma que há “um conjunto de pessoas que apenas estão na política local para se promoverem com vista a serem chamados à selecção nacional da política partidária” e que esquecem, desconhecem ou ignoram os verdadeiros interesses da freguesia, mas esse conjunto de pessoas que há vários anos são profissionais da política e que ocupam cargos em empresas municipais, não estão nas bancadas dos partidos que votaram contra o orçamento proposto.

Votos de Bom Ano Novo.

Algueirão, 30 de Dezembro de 2010


Maurício Veríssimo Rodrigues
Presidente da Assembleia de Freguesia de Algueirão Mem Martins"

02/01/2011

Fórum Sintra em Abril

O Feira Nova de Sintra já fechou portas, tal como todas as Lojas que ainda se encontravam abertas na galeria comercial. Agora Só em Abril... Venha a Pascoa...